A próxima edição do Rock in Rio já tem uma atração inédita, um novo espaço que tem como um dos objetivos dar visibilidade à diversidade e à pluralidade das comunidades cariocas: “O Espaço Favela vai trazer o olhar para as comunidades, vai retratar a alegria de seus moradores. Vamos amplificar este universo dando vida aos seus personagens. Pessoas do bem que trabalham e buscam melhores oportunidades e condições de vida. Gente trabalhadora e guerreira que ilustra estas comunidades. A ideia vai além de ser apenas uma apresentação no Rock in Rio, queremos iniciar um movimento que traga esperança e oportunidades para quem vive nas comunidades”, conta Roberto Medina, presidente do Rock in Rio.

No palco do Espaço Favela, uma reunião de talentos das comunidades, com a curadoria de Zé Ricardo, da CUFA e do grupo Nós do Morro, que prometem dar espaço ali a artistas de diversos gêneros, como a MPB, hip hop, break, samba, dança, percussão, grafite, teatro e muito mais.

Com a intenção de movimentar a economia criativa das comunidades e, ainda, impulsionar os negócios dos microempreendedores, apresentando-os não só ao público de mais de 700.000 pessoas presentes no festival, como para o mundo todo, o Espaço Favela conta ainda com as parcerias do Sebrae, Viva Rio e CUFA.

“Aqui não teremos assistencialismo. Queremos evidenciar o que é bom nas comunidades, não falta gente com conteúdo relevante para somar na cena artística do festival. A favela é sim um caldeirão de criatividade, de vários estilos. A ideia é potencializar e mostrar os talentos que estão dentro das comunidades. Faremos uma curadoria musical sempre considerando a diversidade e a mesma dinâmica se aplicará ao espaço como um todo”, explica Zé Ricardo.

Talentos da gastronomia também terão o seu lugar. Juntamente com o Sebrae, pequenos negócios terão a oportunidade de mostrar ali a sua culinária. Todos receberão qualificação e suporte na legalização da operação e, após o evento, o Rock in Rio cederá os equipamentos para suas cozinhas.

“Nós reconhecemos o talento e a criatividade nos negócios que existem nas favelas. Ali se gera emprego. Ali foram encontrados caminhos para se contornar a crise. O Sebrae pode oferecer cursos, orientar como montar seu negócio e facilitar o acesso ao crédito. Uma das nossas ideias é levar para estes microempreendedores as “fintechs”, pequenas empresas tecnológicas que podem ajudar na concessão de crédito”, garantiu o presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif Domingos.

A CUFA (Central Única das Favelas) será responsável também por recrutar e capacitar profissionais nas comunidades, que terão a oportunidade de trabalhar e vivenciar os bastidores do Rock in Rio, como figurinistas, produtores e até mesmo operadores de luz e áudio.

Já o Viva Rio realizará um calendário de eventos chamado “Só quero ser feliz”, com festas, celebrações e movimentos populares do Rio de Janeiro, , além de promover eventos gastronômicos e culturais que ajudarão a revelar talentos para o Espaço Favela.
“Desde 2001 o Viva Rio e o Rock in Rio estão engajados socialmente e determinados a impulsionar o espírito carioca. O Espaço Favela é uma verdadeira oportunidade para expandir as nossas missões, especialmente para quem mais precisa. Jamais vamos desistir. Está no nosso DNA. Viva o Rio! Viva o Rock in Rio!”, diz Carlos Roberto Fernandes, Gerente de Projetos do Viva Rio.

Chega logo, 2019!