Sem florestas, sem futuro. Esse é o nome do evento que celebrou os 30 anos da Conservação Internacional e todo o seu trabalho para proteger a floresta amazônica. O gala aconteceu em Los Angeles, no dia 2 de novembro, e homenageou o Rock in Rio com o Conservation Hero Award, um prêmio que reconhece os impactos transformadores do compromisso e das ações do projeto Amazonia Live em prol do meio ambiente, do planeta e das pessoas.

Além do Rock in Rio, a SC Johnson foi homenageada com o mesmo prêmio e o ator Harrison Ford, membro da mesa de diretores da Conservação Internacional, recebeu o Founders’ Award, pelo seu trabalho de apoio à instituição há mais de 25 anos.

As duas instituições homenageadas estão conectadas por meio da maior restauração florestal na Amazônia, resultado de uma parceria entre o Ministério do Meio Ambiente (MMA), o Fundo Global do Meio Ambiente (GEF – Global Environment Facility), o Banco Mundial, o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), a Conservação Internacional (CI-Brasil), o Instituto Socioambiental (ISA) e a iniciativa socioambiental do Rock in Rio, o Amazonia Live. A iniciativa prevê a recuperação de 73 milhões de árvores na Amazônia, o equivalente a 30 mil hectares, até 2023. Fundos garantidos pela SC Johnson fazem parte do financiamento para este grande esforço coletivo.

A noite especial teve a participação do renomado chef brasileiro Alex Atala, eleito pela TIME Magazine uma das 100 pessoas mais influentes do mundo. Ele criou um prato especial para a noite, usando cogumelos da Amazônia e explorando o tema do evento: No Forests, No Future. A noite destacou a importância e os grandes benefícios de proteger um dos ecossistemas mais importantes do planeta: florestas tropicais, em especial a Amazônia.